segunda-feira, outubro 18, 2021

Trasplante de pelo, tratamientos, alopecia.

HomePerda de cabeloQuais são as causas da queda de cabelo nas mulheres?

Quais são as causas da queda de cabelo nas mulheres?

A queda de cabelo nas mulheres pode ocorrer por diversos fatores, como alterações hormonais, má-alimentação, estresse, dentre outros, sendo fundamental identificar a causa para buscar o tratamento mais apropriado.

Ao perceber que os cabelos estão caindo além do que é considerado normal, até 100 fios por dia, a mulher deve consultar um dermatologista para ver o que pode estar levando a essa queda capilar e buscar uma solução para o problema.

Confira a seguir as maiores causas para a queda dos fios nas mulheres e os tratamentos adequados.

Principais causadores da queda de cabelo feminino

Alterações hormonais

A mulher naturalmente tem seus hormônios desequilibrados de forma intensa em algumas fases da vida, como na puberdade e menopausa. Para que os cabelos se mantenham saudáveis, é preciso que o cortisol, a vitamina D, os hormônios THS, testosterona e os femininos progesterona e estrogênio estejam em ordem.

E há outros episódios que podem desencadear uma explosão hormonal, como alteração na glândula tireóide, ovário policístico e estresse, que produz um alto nível de cortisol no corpo.

Para esses casos é importante diagnosticar o que causou a alteração das taxas hormonais para ver o melhor tratamento. A prática de atividade física e uma alimentação balanceada, com a reposição de nutrientes, já ajuda consideravelmente na maioria dos casos.  Entretanto, se for uma questão médica, como o ovário policístico, pode ser necessária uma reposição de hormônio.

Amamentação

A amamentação também pode fazer com que os cabelos caiam, devido à queda de progesterona e também a ação do hormônio prolactina, responsável pela produção de leite. A tendência é que o cabelo pare de cair após seis meses.

Caso a mamãe fique muito incomodada com a situação pode procurar o obstetra que irá orientar uma suplementação de vitaminas e minerais adequadamente.

Pós-parto

Durante a gravidez a mulher fica com o cabelo mais forte e bonito, como consequência dos altos níveis de estrogênio e progesterona, produzidos pela placenta. Esses hormônios fortalecem os fios, deixando-os saudáveis e com brilho.

Ocorre que depois do nascimento do bebê há uma diminuição acentuada desses hormônios, cerca de dois a quatro meses após o parto. Associado a isso vêm as preocupações, o estresse e o gasto calórico e nutricional da amamentação, resultando na fragilidade, perda de volume e queda dos fios.

O tratamento preventivo nos últimos três meses da gravidez e após o parto com uma alimentação controlada, pela reposição de nutrientes como ferro, zinco, cobre, selênio, biotina e cisteína, pode garantir melhor saúde do cabelo e minimizar a queda.

Genética

A alopecia androgenética não atinge somente os homens, com cerca de 40% das mulheres do mundo propensas a desenvolver um quadro de calvície durante a vida. Ela resulta do hormônio testosterona associado a uma predisposição genética da mulher.

Ao atingir o couro cabeludo com tendência para a alopecia, o hormônio sofre a ação de uma enzima e é transformado em dihidrotestosterona (DHT), que atua no folículo capilar causando de maneira progressiva a produção dos fios.

Nesse tipo de queda capilar o cabelo dificilmente volta a crescer. Existem tratamentos para retardar o problema, como a aplicação local de ativos restauradores capilares, o mais conhecido é o Minoxidil, além de lasers capilares e a terapia celular com células tronco. Caso o diagnóstico médico constate que estes não irão surtir efeito, a mulher pode realizar um transplante capilar.

Envelhecimento

O afinamento e a queda dos fios são consequências naturais do envelhecimento, assim como o surgimento de cabelos brancos. O cabelo fica mais quebradiço, a taxa de crescimento e os folículos capilares diminuem, o que afeta a densidade de cada fio de cabelo produzido.

Anemia

A queda de cabelo também pode ser decorrente de anemia e deficiências nutricionais, uma vez que os fios recebem menos sangue, nutrientes e oxigênio, ficando mais fracos e quebradiços. Nesse caso é recomendado o uso de suplementos de vitaminas e minerais, principalmente o ferro, para combater os sintomas, dentre eles a fraqueza capilar.

Cigarro

A queda de cabelo é mais um dos tantos males que o tabagismo causa. As substâncias tóxicas presentes no cigarro enfraquecem os fios. O movimento de tragar e soltar a fumaça por longos anos provoca uma degeneração dos vasinhos que abastecem as extremidades do corpo, neste caso do couro cabeludo.  

Excesso de produtos químicos e de má qualidade

O uso excessivo de tintas para coloração dos cabelos, permanentes ou alisamentos causa graves danos aos fios. O produto químico retira os óleos naturais dos fios, deixando-os ressecados e até se quebrarem na raiz.

Há também um desgaste da cutícula do cabelo, que causa as pontas duplas e quebra. A química pode ainda queimar o couro cabeludo, o que faz com que o folículo piloso encolha e cresça mais fino e frágil.

A hidratação após o uso de produtos químicos é fundamental para ajudar no crescimento, restauração e força dos fios. Assim as agressões são minimizadas e reduzem a queda do cabelo. É importante também dar um intervalo maior entre os procedimentos para que os fios tenham tempo para se recuperarem do desgaste sofrido.

Conclusão

Como visto, existem diversas causas para a queda de cabelo nas mulheres, desde questões hormonais, emocionais e genéticas até o uso exagerado de produtos químicos. Para prevenir a queda capilar e fortalecer as madeixas, é importante adotar uma alimentação rica em proteínas e selênio, como a castanha-do-pará e a gema de ovo.

Além disso, cultivar o hábito de não se estressar, a meditação e a ioga são ótimas aliadas para essa missão, e praticar exercícios físicos regularmente deixam os cabelos mais fortes e resistentes à queda.

Existem tratamentos estéticos que podem evitar a perda dos fios, como a aplicação de injeções no couro cabeludo contendo vitaminas e minerais, que promovem a nutrição e circulação sanguínea colaborando para o crescimento dos fios.

Há também a carboxiterapia capilar, que consiste na injeção de gás carbônico no couro cabeludo para estimular o fluxo de sangue, a nutrição das células e eliminação de toxinas, o que favorece o crescimento do cabelo.

Relacionados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Novedades

Populares