Monday, April 15, 2024
NotíciaEnxerto de cabelo em cicatrizes, pode ser feito?

Enxerto de cabelo em cicatrizes, pode ser feito?

As cicatrizes costumam gerar um incômodo estético, principalmente se estão localizadas em áreas bem visíveis, difíceis de esconder, como no couro cabeludo, sobrancelhas ou barba. A boa notícia para quem sofre com esse problema é a possibilidade de fazer transplante capilar para camuflar as cicatrizes.

A cicatriz é uma regeneração da pele após ser atingida por uma lesão como cortes, traumas, queimaduras, infecções, cirurgias, entre outras. Durante esse processo de cicatrização, os pelos presentes na área afetada podem ser danificados e perdidos por completo. Mas como o enxerto de cabelo pode ser utilizado para cobrir cicatrizes em regiões pilosas? Confira na leitura desse texto e fique por dentro.

Como é realizado o transplante capilar em cicatrizes?

As cicatrizes, além da questão estética, carregam lembranças ruins de acidentes, traumas, ou um estigma social no caso de doenças. O tratamento para escondê-las promove uma solução não apenas no visual, mas também no psicológico de quem carrega essas marcas desagradáveis.

Pelo fato das cicatrizes não serem um tecido como o da pele normal, são mais duras e com poucos vasos sanguíneos, surge a dúvida se os fios transplantados conseguem nascer nessas áreas. É importante deixar claro que a pega do implante pode ser menor que em partes do corpo não cicatriciais, devido a própria fisiologia de uma região onde há muita fibrose e a microvascularização está diminuída. Entretanto, os resultados apresentados de enxerto de cabelo para reparação de cicatrizes até hoje realizados demonstram a eficácia do procedimento e a satisfação do paciente, com 90% dos transplantes onde os cabelos crescem corretamente.

Técnica utilizada

Para garantir o sucesso e naturalidade do transplante, ele precisa ser feito por um cirurgião experiente para se atentar a fatores essenciais a serem considerados, como a densidade do fio, angulação dos novos enxertos, direção, curvatura e espiral natural da região de cobertura.

É necessário que o profissional avalie o tamanho da cicatriz, além disso é preciso que tenha um suprimento de sangue suficiente na área, já que as cicatrizes têm tecido vascular fibrótico suficiente que impede o crescimento dos fios enxertados. Por isso a importância da escolha de um médico qualificado para que desde a avaliação verifique a viabilidade do transplante capilar na cicatriz e alinhe as expectativas do paciente com a realidade possível.

O método de enxerto de cabelo mais utilizado hoje para esconder cicatrizes é a técnica FUE, em virtude dos bons resultados que apresenta, além de não ser invasiva e não deixar cicatriz visível como outros métodos.

A técnica é baseada na extração de unidades foliculares de uma área doadora da própria pessoa, geralmente a nuca, que são então implantadas uma a uma na própria cicatriz, onde irá crescer e deixar de ficar aparente. A retirada dos folículos é feita através de punches de 0,8 a 1 mm de diâmetro. Esse procedimento em cicatrizes seleciona unidades foliculares com mais de dois fios para que a cobertura da área seja eficaz.

Quanto menor for a lesão, mais fácil é a cobrir a cicatriz, sendo coberta após duas ou três sessões. Os cabelos vão crescer de forma natural e mantendo as características naturais e genéticas do paciente. Trata-se de uma cirurgia bem tranquila, feito em ambiente hospitalar com anestesia local e sedação. O paciente recebe alta no mesmo dia e pode retomar sua rotina com alguns cuidados devidos.

Esse tipo de tratamento com a técnica FUE é adotado principalmente para reparação de cicatrizes de outros transplantes capilares feitos anteriormente. É o caso de um enxerto que foi realizado com o método FUT, que é feito com a retirada de uma tira de cabelo da área doadora para ser implantada na região calva, o que deixa visivelmente uma faixa larga como cicatriz no couro cabeludo. Essa cicatriz que fica na região posterior da cabeça, alargada e aparecendo entre os fios é a queixa mais recorrente e incômoda.

Outra causa encontrada com frequência das cicatrizes após um transplante de cabelo são perfurações grosseiras feitas na área receptora dos folículos. Isso ocorre quando são utilizadas lâminas de metal, agulhas pouco adequadas e implanters de metal, estes últimos muito usados por cirurgiões com pouca experiência e sem a habilidade suficiente para colocação dos enxertos com pinças.

Muitos pacientes também procuram pelo transplante capilar com a técnica FUE para corrigir a linha anterior com “cabelos de boneca”, resultado comum de procedimentos feitos a alguns anos para recuperação dos fios, em que não havia o avanço tecnológico dos métodos como temos atualmente.

O resultado da cirurgia de enxerto de cabelo para disfarçar cicatrizes começa a partir do terceiro mês. Com 6 meses, o paciente consegue perceber um resultado parcial de 50% e após um ano é alcançado o objetivo em definitivo.

Outras causas comuns de cicatrizes no couro cabeludo

Além de transplantes capilares que deixam cicatriz no couro cabeludo, as marcas indesejadas podem surgir por razões diversas, tais como:

  • Outras cirurgias de origem estética
  • Acidentes de colisão
  • Lesões esportivas
  • Queimaduras
  • Doenças inflamatórias
  • Procedimentos faciais como o lifting, que pode deixar uma cicatriz no local com pouca densidade de cabelo, geralmente na área da face próxima à orelha.

O tratamento com transplante capilar não é indicado para o caso de cicatrizes em decorrência de doenças inflamatórias e autoimunes.

Causas para que uma cicatriz se torne maior:

  • Intervenção mal executada pelo cirurgião
  • Características da pele do paciente
  • Não ter seguido as instruções pós-operatórias.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here