Evolução Transplante Capilar Dia a Dia

São inúmeras pessoas que sofrem com a calvície que possuem o sonho de fazer um transplante para ter seus cabelos e muitas vezes sua identidade de volta. Entretanto, por ser uma cirurgia, é normal aquele medo do pós-operatório e de que o procedimento não alcance o resultado desejado.

Assim como qualquer cirurgia, o transplante capilar apresenta suas particularidades com o passar do tempo. Todo o processo vale a pena, já que o resultado é natural e eficaz. Quem deseja fazer precisa conhecer todos os pormenores por trás da operação e entender a evolução diária.

Afinal, é chegado o grande dia, correu tudo bem durante o procedimento, deu tudo certo. Mas, e agora? Como será?

Vejamos aqui o dia a dia depois de um transplante capilar, do pós-operatório aos 12 primeiros meses.

O Pós-operatório e os primeiros dias

O paciente é liberado para casa no mesmo dia da operação, mas devendo se atentar a alguns cuidados e a prescrição médica, tais como:

  • Não voltar dirigindo após a cirurgia.
  • Fazer uma refeição leve e com pouco sal.
  • Utilizar um travesseiro macio, e um rolete (toalha macia enrolada) sob a nuca para evitar apoiar diretamente sobre os pontos.
  • A região pode inchar nas primeiras 72h, mas nada que comprometa a cirurgia. Aplicar compressas com gelo na testa para amenizar o inchaço e nunca colocar em cima dos implantes.
  • Dormir de barriga para cima.
  • Procurar manter a cabeça elevada.
  • Trocar a fronha do travesseiro todos os dias.
  • Evitar abaixar a cabeça ou fazer qualquer esforço logo após a cirurgia.
  • Evitar calor intenso.
  • Separar uma toalha de banho somente para secar a cabeça, não secar com a mesma toalha que secou o corpo.
  • Piscina e mar somente depois de 2 meses do transplante capilar.
  • Musculação, lutas e esportes radicais somente após 2 meses do procedimento.
  • Caso tenha animais de estimação, sempre lavar as mãos e passar álcool.
  • Tomar bastante líquido.
  • Nos primeiros três dias não é permitido consumir bebidas alcoólicas e anticoagulantes ou aspirinas.
  • Pode usar boné ou chapéu desde que sejam largos e estejam limpos. Evite ficar com os mesmos durante muito tempo.

No primeiro dia da cirurgia o aspecto é o de milhares de incisões com pequenas crostas onde estão implantadas as unidades foliculares. Com relação à área doadora, se o paciente tinha cabelos com um tamanho de mais de 1,5cm, não se nota nada, já que os cabelos remanescentes cobrem os pontos. Nos pacientes com o cabelo muito curto à época da cirurgia a incisão pode ficar visível por alguns dias, em média de 7 a 10 dias.

No segundo dia o paciente deve comparecer à clínica para uma consulta de controle, onde será avaliada a condição imediata do couro cabeludo e realizada a lavagem do cabelo. É importante que, antes desta consulta, o paciente não toque ou lave o cabelo, pois deve ser feita pelos especialistas.

Durante os primeiros dias, é normal uma vermelhidão na área doadora e na área enxertada. O paciente também poderá sentir irritação, queimação e coceira. Isto se deve ao processo de cicatrização e adesão de enxertos capilares, que podem levar entre 5 e 10 dias.

Neste período é importante não esfregar nem coçar a região enxertada. Para aliviar estes sintomas, o paciente pode usar água termal para acalmar a pele.

Do terceiro ao quinto dia após cirurgia, lavar a cabeça diariamente conforme orientação recebida no retorno à clínica. É importante estas lavagens frequentes para que as crostas saiam e os implantes tenham uma boa cicatrização.

Até retirar os pontos, normalmente após 14 dias da cirurgia, é recomendado usar somente o shampoo Johnson neutro (amarelo), fazendo movimentos delicados, sem esfregar, dando leves “tapinhas” utilizando as pontas dos dedos formando espuma, e depois enxaguar com a ajuda de um copo ou jarra. A água deve ser sempre morna ou fria, nunca quente.

Deixe secar naturalmente os cabelos. Jamais esfregue ou realize qualquer atrito. Não utilizar o secador e nenhum produto tópico (gel, cera ou qualquer outro fixador) para evitar a obstrução dos poros.

Nunca remova as crostas, na maioria dos casos elas caem juntamente com os fios, o que é normal. No momento da retirada dos pontos a maioria das crostas já caíram e com elas grande parte dos fios transplantados, porém os folículos não são afetados e estarão prontos para gerar novos fios após 3 meses. É quando se inicia o crescimento definitivo.

Primeiros meses

No primeiro mês não é permitido cortar o cabelo. O cabelo começará a crescer conforme entrar na fase de crescimento do seu ciclo. Os resultados não serão imediatos, pois é preciso esperar que os cabelos continuem o ciclo de repouso e crescimento, e esta evolução é relativamente lenta.

No primeiro mês de transplante podemos dizer que o foco é totalmente na cicatrização, os folículos transplantados estão todos “escondidos”.

Após um mês praticamente não existirão mais sinais do transplante capilar, todas as crostas terão caído, assim como os fios implantados. O que é normal de acontecer é somente uma discreta vermelhidão na área implantada relativo ao aumento da circulação local.

Até o terceiro mês geralmente não é possível observar o resultado, alguns poucos fios podem crescer e o paciente pode ter a impressão que o implante não funcionou, porém é só o início do crescimento dos fios e os resultados ainda estão por vir.

Novos cabelos serão gerados a partir da matriz restante. Eles começam a brotar finamente e discretamente e vão crescer, em média, um centímetro ao mês o que leva ainda aproximadamente 3 meses para atingirem um tamanho que se pode pentear.

Em 4 meses muitos fios já nasceram, mas ainda estão pequenos e o paciente pode pensar que o resultado será aquele, o que pode deixar alguns mais ansiosos. Basta manter a paciência por mais um ou dois meses. Neste momento param de aparecer os cistos, que são semelhantes a “espinhas”, quando os fios encravam ao nascerem.

Com 6 meses de cirurgia a diferença visual já é bem expressiva, pois mais de 50% dos fios já cresceram. Aqui o paciente pode ter uma boa noção do resultado, embora o cabelo ainda não esteja muito grande para pentear e haja fios novos para nascer.

Entre 8 e 10 meses é possível notar como a espessura do cabelo aumentou consideravelmente, bem como o seu comprimento. A aparência agora é bem natural e o preenchimento das áreas da calvície já foram alcançados, semelhante a que ficará em definitivo.

É possível que o processo seja um pouco mais lento em alguns casos e que o resultado final apareça somente no primeiro ano. Se isso acontecer não é indicativo de estar errado, simplesmente cada paciente é diferente.

Após 12 meses do transplante capilar tem-se de fato o resultado final. Todos os cabelos já cresceram. O mais importante é que o cabelo implantado mantém suas características genéticas originais da área doadora, mantendo a fase anágena adulta de 2 a 6 anos, quando ocorre um novo ciclo de crescimento.

Isso significa que o cabelo vai cair uma ou outra vez. O paciente deve entender que a calvície é progressiva e o cabelo implantado pode crescer mais fino e cair ao longo dos anos, no entanto, novas substituições podem retorná-lo à sua densidade original.

Se for um paciente que precisa de um segundo procedimento, no caso do FUT, aos 12 meses já estará liberado para fazê-lo, pois geralmente a área doadora tem elasticidade suficiente para uma nova retirada, caso haja necessidade.

Conclusão

Como vimos, a evolução de uma cirurgia de transplante capilar é gradual e tudo no seu devido tempo. O paciente deve estar ciente de que será preciso um pouco de paciência, mas que a espera compensa o resultado satisfatório e o melhor, definitivo.

Escreva um comentário:

*

Your email address will not be published.