Friday, May 24, 2024
NotíciaShakes de proteína e calvície

Shakes de proteína e calvície

O consumo de suplementos alimentares está cada vez maior, sendo considerado um grande aliado para bons resultados da prática de exercícios físicos. Além dos shakes de proteína auxiliarem na recuperação após o esforço físico, fortalecendo os músculos, o produto é alvo de um debate sobre a queda de cabelo em quem o consome.

De um lado, fica o levantamento da possibilidade de os shakes de proteína causarem perda capilar, de outro, a afirmação de que, ao contrário, eles ajudam no fortalecimento e diminuição da queda dos fios devido aos aminoácidos essenciais e nutrientes que possuem. Continue com a leitura desse texto para entender melhor sobre a discussão e o que é de fato verdade.

O que são shakes de proteína? 

Os shakes de proteína são suplementos nutricionais contendo alta porcentagem de proteínas e baixas calorias. O formato mais encontrado é em pó solúvel, com diversos sabores. Podem ser de origem animal ou vegetal e a escolha depende de cada caso, sendo importante consultar um especialista em nutrição para o consumo mais assertivo.

Os principais ingredientes incluídos nesses suplementos alimentares são os seguintes:

Proteínas

Como o próprio nome sugere, a proteína é o principal componente dos shakes. Conforme já mencionado, pode ter origem animal ou vegetal. A proteína de soro de leite é a mais utilizada para esses suplementos, obtida a partir do leite animal. São normalmente feitos também do ovo ou da gelatina. O shake de origem vegetal é à base de plantas, vem de ervilhas, cânhamo ou arroz.

Lecitina

Outro ingrediente que compõe a lista do shake de proteína são os emulsificantes. A lecitina é um dos mais comuns, com a finalidade de dissolver o pó de forma mais fácil e rápida. 

Espessantes

Os espessantes são utilizados para fornecer textura e consistência aos shakes. Em geral são usadas gomas, carragenina ou maltodextrina.

Adoçantes

Para dar sabor aos shakes de proteína, os adoçantes artificiais e açúcar são outros itens presentes na lista de ingredientes desses suplementos. 

É verdade que os shakes de proteína podem causar calvície? 

Algumas substâncias comuns dos shakes de proteína são os responsáveis por essa discussão se realmente causam calvície ou alopecia em que os consome. Um deles é a creatina, aminoácido suspeito de acelerar a queda dos fios, contido especialmente nos suplementos alimentares de origem animal.

A creatina está presente de forma natural em homens e mulheres, mas também é encontrada nas proteínas animais que compõem os shakes de proteína. A verdade é que não há comprovação médica de que os shakes causam calvície. O que ocorre é uma possível relação hormonal que aumenta os níveis de testosterona no corpo. Ao aumentar esse hormônio, é possível que a creatina entre em contato com a enzima 5-alfa redutase, contida nos folículos pilosos, gerando a di-hidrotestosterona, hormônio que provoca a alopecia androgenética. É verdade também que em casos de alopecia incipiente a creatina pode acelerar a queda capilar, mas não a causar.

Por outro lado, existem afirmações de que o shake de proteína traz benefícios para a saúde dos cabelos. O cabelo humano possui mais de 80% de proteína em sua composição e esse suplemento alimentar ajuda na formação da queratina e da melanina, importantes para a força e vitalidade dos fios. Além disso, o shake também possui vitaminas e minerais que promovem um couro cabeludo saudável e estimulam o crescimento do cabelo.

Fatores que causam a queda capilar 

Não é comprovado que os shakes de proteína causam alopecia ou queda de cabelos. Entretanto, existem fatores reais que provocam a perda capilar, embora geralmente reversíveis.

Estresse

A queda de cabelo causada pelo estresse é uma das mais comuns, principalmente para quem sofre com estados estressantes por um longo tempo. Essa queda dos fios em geral é reversível e não necessita de nenhum tratamento. Mas, quando a situação persiste, é essencial procurar pela ajuda de um médico especialista para avaliar o caso e orientar a melhor forma de tratar o problema.

Covid-19

A pandemia da covid-19 impactou muito na saúde das pessoas e a doença tem como um dos sintomas a queda de cabelo. Conhecido como eflúvio telógeno, essa perda dos fios surge ao final da infecção pelo vírus e mesmo após 9 meses há pacientes que apresentam uma queda capilar considerável.

Outono sazonal

A queda capilar sazonal, decorrente das mudanças de estação, é outro tipo que pode ocorrer com mais frequência. Em especial no outono, os fios caem devido ao próprio ciclo de vida do cabelo. No entanto, como acontece com a perda de cabelo induzida pelo estresse, é reversível e o cabelo voltará a crescer normalmente.

Má alimentação

A alimentação e a queda de cabelo estão bastante relacionadas. A falta de nutrientes na dieta afeta todo o corpo, inclusive o couro cabeludo. Por isso, é importante ter uma alimentação rica e equilibrada para manter os fios bonitos, fortes e saudáveis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here