Friday, May 24, 2024
NotíciaEspironolactona para alopecia feminina

Espironolactona para alopecia feminina

É um medicamento muito indicado na dermatologia, cardiologia, gastroenterologia, nefrologia. A Espironolactona é um medicamento muito versátil porque a estrutura molecular é semelhante aos hormônios esteroides. Ela agem como antagonista de vários hormônios indicados na hipertensão arterial em que ele expele jogando líquido que está circulando no vaso sanguíneo para fora reduzindo a pressão arterial, esse efeito é primordial. Mas a espironolactona, também tem uma função antiandrogênica que é o combate os hormônios ruins masculinos para as mulheres. A ação máxima começa a partir do terceiro dia. O efeito diurético para aquelas pessoas que sofrem com edema e retenção líquida excessiva.

Existem mulheres que possuem em excesso os hormônios masculinos ou até mesmo os hormônios masculinos que agem de maneira inadequada no organismo levando a queda de cabelo, o hirsutismo que é a presença de barba e bigode no rosto e mau cheiro e a pilificação que é o mau cheiro axilar. Com isso vários profissionais da área médica prescrever a medicação Espironolactona, pois ela é segura e muito eficaz para a redução dos efeitos desagradáveis e indesejados.

Todo ser humano possui o hormônio da testosterona, o homem em abundância e na mulher apresenta uma concentração bem menor. E essa testosterona é um hormônio instável que ligada a uma enzima, posteriormente, se converte em um outro hormônio. As enzimas são 5-Alfa redutase que faz com que essa testosterona se transforme em o DHT (Dihidrotestosterona)o hormônio que causa a miniaturização capilar e a formação da alopecia androgenética. Esse hormônio liga também a outra enzima de nome aromatase. Por sua vez a Espironolactona estimula a liberação da enzima, e a testosterona se liga a aromatase transformando em um outro hormônio denominado estrógenos, que é um hormônio feminino. Ao contrário do DHT ele impede a miniaturização, pois é um protetor dos fios, portanto esta é a ação da Espironolactona.

Miniaturização Capilar

É um processo de involução, ou seja, declínio do folículo capilar, atrofia do cabelo. Esse cabelo se torna mais frágil, menor, com pouca pigmentação e ainda possui um ciclo mais rápido. Também conhecido como calvície, onde os folículos que tinha de três a quatro fios ficam, cada vez mais fracos, finos e pouca densidade, como consequência, acontece desaparecimento do folículo capilar causando uma área lisa na cabeça. Frente a esse diagnóstico de calvície feminina é necessária a investigação da causa, de acordo com as estatísticas os picos de incidência estão nas faixas dos vinte aos trinta anos e depois com a menopausa.

Cerca de 50% da calvície feminina e um pouco mais, acontece após a menopausa, pois o principal hormônio feminino, o estrógeno, tem uma queda brusca e considerável, e o outro hormônio andrógeno fica mais estabilizado e possui uma queda pequena. Isto é a causa da alopecia androgenética. Com o tratamento capilar é possível reverter e diminuir a velocidade da evolução desses folículos ate um certo ponto. Quando o folículo morre não tem como reverter a situação, a solução será somente o transplante capilar.

Alopecia feminina

Nas mulheres ocorre entre os 30 a 40 anos de idade, e no período pré e pós-menopausa. Já nos homens pode ser desenvolvida após a puberdade entre os 20 30 anos. Os principais sinais são: a risca do couro, explicitadamente mais larga, cabelos menos volumosos, cabelo se torna mais fino, frágeis, falhas no couro cabeludo ( mais notável no topo da cabeça) embora prejudique todo o couro cabelo e perceptível nas laterais quando a mulher prende os cabelos.

Principais causas da alopecia feminina?

– Menopausa e o uso de suplementação de hormônios masculinos;

– Alterações hormonais;

– Excesso de química;

– Estresse emocional;

– Má alimentação;

– Gravidez;

– Remédios;

– Cabelo preso muito apertado

Quando a mulher desenvolve a alopecia androgenética promove a liberação de enzima que com que a testosterona se transforme em estrógeno, hormônio protetor. Isso vai diminuindo o procedimento da miniaturização tanto da haste quanto do folículo. Pois, na alopecia androgenética o folículo inteiro passa por uma ação de atrofia. Diante desse princípio acontece a minimização do desenvolvimento da androgênica nas mulheres e a Espironolactona tem um efeito muito positivo.

Calvície Feminina

A Calvície Feminina tem maior incidência nos homens, porém a maioria das pessoas desconhecem que pode acontecer também nas mulheres de diferentes idades e graus. Alopecia se refere a queda de cabelo, andro: se refere aos hormônios masculinos, e as mulheres possuem em menor quantidade, genética refere se a predisposição que o indivíduo adquiri tanto da mãe quanto do pai. E pode se desenvolver em qualquer época da vida a queda de cabelo, daí o nome de alopecia androgenética, e ainda pode surgir na juventude ou idade mais avançada.

Como percebe que seu cabelo está apresentando calvície?

O cabelo possui quatro fases de crescimento dos fios:

– Anágena: é a fase do crescimento do fio e quando ele fica mais longo. Dura em média de 2 a 8 anos.

– Catágena: é a fase da transição com a diminuição extrema dos fios.

– Telógena: é quando os fios ficam em repouso e soltam do couro cabeludo por causa da atrofia. No momento oportuno, eles caem, ou seja, é exclusivamente a fase da queda. Esse processo pode durar meses.

– Quenógena: intervalo entre as fases anágena e telógena. Espaço entre o surgimento dos novos fios e consequentemente a sua substituição.

São essas fases responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento do cabelo, consideradas normais em se tratando de ciclo capilar. Na mulher se identifica mais rápido por causa da linha que se apresenta e vai se afastando no meio do topo do cabelo. E com o passar do tempo é possível perceber nitidamente no couro cabeludo, devido os diversos graus que o mesmo possui. E uma das melhores coisas, é que mesmo passando por todas as fases, dificilmente, a mulher que desenvolve alopecia androgenética apresenta a calvície total do couro cabeludo.

É indicada no tratamento de acne na mulher adulta de trinta, quarenta anos de idade que já não são mais adolescentes, principalmente, ao redor da boca, chega no pescoço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here