Thursday, June 13, 2024
NotíciaTransplante capilar aos 50, 60 anos, é eficaz?

Transplante capilar aos 50, 60 anos, é eficaz?

Não é de hoje que aquele papo de que o homem não deve ser vaidoso e querer se cuidar está bem ultrapassado. Os homens estão cada vez mais buscando procedimentos estéticos variados, sejam eles mais jovens ou mais velhos. O transplante capilar é um deles, principalmente porque a queda capilar é algo que impacta de forma significativa a imagem e autoestima masculina.

O fato de chegar na terceira idade não quer dizer que naturalmente podemos ficar carecas e é assim que deva ser. Mas adianta fazer transplante para recuperar os cabelos depois dos 50 anos? Confira na leitura desse texto a resposta e saiba mais sobre o assunto.

Por que ocorre a queda de cabelo?

A maior causa de perda capilar no caso da calvície masculina é um hormônio chamado DHT (dihidrotestosterona), que afeta os folículos pilosos da parte de cima da cabeça, mas não os fios da parte de trás e dos lados. A queda dos cabelos está diretamente relacionada a à presença dos hormônios sexuais masculinos, principalmente a testosterona.

As mulheres elas também produzem esse hormônio, mas em quantidade bem menor, razão pela qual os casos de calvície são mais raros. Entretanto, há diversos outros motivos para a alopecia feminina, dentre eles fatores genéticos e alterações hormonais, sendo mais comum na menopausa ou em mulheres que possuem a síndrome do ovário policístico.

Outras causas da calvície tanto em homens quanto em mulheres são o excesso de oleosidade, típico da dermatite seborreica, o uso em excesso de produtos químicos, distúrbios da tireoide, má alimentação, carência de vitaminas, alguns medicamentos e estresse.

Adianta fazer transplante capilar depois dos 50 anos?

A resposta é sim, o enxerto de fios aos 50, 60 anos, é eficaz. O resultado bem-sucedido do procedimento independe da idade, havendo outros fatores que influenciam para que o paciente seja um bom candidato ao transplante capilar. Alguns desses requisitos são:

  • Ter uma área doadora saudável e abundante para garantir a extração de boas unidades foliculares a serem implantadas na região calva.
  • Ter uma boa condição de saúde, principalmente sem qualquer problema de pele que possa tornar mais difícil a cicatrização após o transplante.
  • O tipo de cabelo, características como espessura, volume, cor e qualidade dos fios.

O transplante capilar é a única solução definitiva para a calvície, pois os fios transplantados que são retirados da área doadora não possuem os genes da calvície, assim a tendência é que não caiam mais, prevalecendo a carga genética vinda com as unidades foliculares.

A cirurgia para a recuperação dos fios consiste em uma série de etapas que são as mesmas independente da idade da pessoa. Confira abaixo quais são elas.

Diagnóstico

Inicialmente, é importante fazer uma análise capilar, em que o médico especialista avalia o estado geral do couro cabeludo, se existe uma boa região doadora de fios, o grau de alopecia segundo a escala hamilton norwood em homens ou Escala Ludwig em mulheres, e conclui se o paciente é ou não apto para o transplante capilar.

Definição das regiões doadora e receptora

No dia da cirurgia, o médico irá desenhar a área receptora, levando em conta a fisionomia do rosto, necessidade e preferência do paciente. Assim, são marcados os limites onde os folículos serão implantados e o novo cabelo vai nascer. Nessa etapa também é definida a área doadora, ou seja, onde serão extraídas as unidades foliculares necessárias, sendo geralmente na parte de trás da cabeça e até em outras partes do corpo.

Aplicação de anestesia local

O transplante capilar é um procedimento ambulatorial que necessita apenas de anestesia local. Com a sedação, o paciente não vai sentir nenhuma dor durante a extração e implantação dos fios.

Extração das unidades foliculares

A equipe médica começa a extração das unidades foliculares da área não afetada pela calvície. Se for adotada a técnica FUE de transplante capilar, esse procedimento é feito com um instrumento específico, um punch com micromotor, que possibilita que os folículos capilares sejam retirados um a um sem danificar a área doadora. Depois de extraídas, as unidades são colocadas em placas de Petri para conservação.

Etapa de implantação

Após a extração das unidades foliculares, o cirurgião faz as cavidades na área receptora para que os folículos sejam implantados. Esse momento exige bastante precisão e competência por parte do médico responsável pelo transplante. Em seguida, as unidades são colocadas na região calva para que novos fios cresçam.

Como escolher a melhor clínica de transplante capilar

  1. A melhor clínica de transplante capilar é aquela que tratou muitos casos diferentes e possui muitas cirurgias anteriores.
  2. Para avaliar a qualidade de uma clínica veja se o médico e sua equipe são profissionais experientes, com reconhecimento por institutos e associações médicas.
  3. Procure conversar com quem já realizou a cirurgia ou ver as opiniões para ter mais informação sobre o procedimento e como foi o resultado.
  4. Verifique se a clínica possui credenciamento e certificação exigidos pelas autoridades. É importante também observar as condições higiênicas e a estrutura do local onde será realizado o transplante capilar.
  5. O preço é sem dúvida um fator de escolha, mas cuidado com clínicas de custo muito baixo, pois não garantem segurança ao paciente e um bom resultado. É importante verificar se o local oferece remédios e um acompanhamento pós-operatório.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here